Facebook Curtir

Passeio de Maria-Fumaça recria o percurso de imigrantes italianos

A mesma estação de trem, por onde passaram milhares de imigrantes italianos, em São Paulo, voltou a ouvir soar o apito da Maria-Fumaça, em passeios turísticos que cruzam os trilhos dos bairros da Mooca e do Brás.  As viagens são promovidas pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF).

A novidade é que o embarque voltou a ser realizado pela plataforma do Museu da Imigração, instituição da Secretaria da Cultura do Estado. A partir deste mês de agosto, a Maria-Fumaça realizará saídas agendadas para grupos durante os dias de semana e para o público espontâneo estará disponível sempre no primeiro final de semana de todo mês.

A Hospedaria de Imigrantes do Brás, onde hoje funciona o Museu, recebeu pessoas de todas as regiões do Brasil e de diversos países, ao longo dos mais de 90 anos de funcionamento. Migrantes e imigrantes, ao desembarcarem no porto de Santos, seguiam de trem até a estação da Hospedaria do Brás. A estrada de ferro que vinha de Santos até a Hospedaria pertencia à Companhia São Paulo Railway, que ligava Santos à Jundiaí e era responsável pelo transporte dos imigrantes e do café.

Para recriar a experiência daqueles que faziam esse percurso, os passeios de Maria-Fumaça são acompanhados por monitores que contam um pouco da história da locomotiva e simulam algumas práticas típicas das antigas viagens de trem. Os passageiros são levados, então, a se imaginarem no século passado, durante um trajeto de três quilômetros entre as estações Mooca e Brás, que dura aproximadamente 25 minutos.

Para realizar o passeio, o público pode escolher entre um vagão de 1950 (ingressos por R$20) e outro de 1928 (ingressos por R$25). Ambos os carros foram recuperados na Oficina de Restauração da ABPF, que desenvolve um trabalho de reparo dos trens, respeitando suas características originais, como tipo de madeira, cor, dimensões e montagem. Os equipamentos restaurados ficam expostos no Pátio de São Paulo, local próximo ao viaduto Alcântara Machado, e podem ser visualizados durante o caminho percorrido pela Maria-Fumaça.

Os embarques para o passeio são realizados na plataforma da sede da ABPF, aos sábados, domingos e feriados, com exceção do primeiro final de semana do mês, cuja saída é na própria estação ferroviária do Museu da Imigração

O funcionamento ocorre das 11h às 16h, com viagens de hora em hora, a depender da demanda do público. De terça a sexta-feira, os grupos interessados também podem fazer o passeio de Maria-Fumaça (mínimo de 40 participantes) vinculado com a visita ao Museu, desde que tenham realizado o  agendamento por meio do e-mail agendamento@museudaimigracao.org.br ou pelo telefone (11) 2692-1866.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1316, no bairro da Mooca, em São Paulo. O horário de funcionamento é de terça a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos das 10h às 17h. Os ingressos para visitar as exposições do Museu custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). 

Outras informações estão disponíveis no site http://www.museudaimigracao.org.br 

A Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1253. Mais informações podem ser acessadas em www.abpfsp.com.br ou solicitadas pelo telefone (11) 2695-1151.
 



0 Comentários


Seu comentário

  • Oriundi

    Giornalismo fatto con passione