Facebook

A Casa de Maria: Escavando mais a fundo no passado

V - Escavando mais a fundo no passado

A casa estava, agora, em mãos seguras e, àquele ponto, a prioridade absoluta era torná-la mais acessível com a construção de uma estrada, ainda que rudimentar. Foi decidido que a estrada sairia, mais ou menos, diretamente de Ayasoluk, cortando no meio a planície de Éfeso. Das vilas vizinhas foram recrutados mais de sessenta trabalhadores e a obra começou quase imediatamente, sob a direção de Constantin Grollot.

1. Trabalhadores em curso sobre a Colina dos Rouxinóis

A prioridade seguinte foi arrumar a casa sem ao mesmo tempo modificá-la. Com este objetivo, substituíram a ruinosa porta de acesso por uma nova e sólida; instalaram um pequeno portão de metal sobre o acesso externo do quarto de dormir, a fim de evitar a entrada de cães e de outros animais; removeram os detritos e a camada de terra que recobriam o pavimento; aplicaram ajustadas mãos de cimento nos muros para prevenir a futura deterioração; colocaram uma cobertura provisória sobre toda a extensão da casa para proteger a sua estrutura das intempéries, assim como os próprios operários; e começaram a plantar as oliveiras que ainda costeiam o percurso a pé que conduz à casa.

No início do verão de 1894, estes trabalhos preliminares já eram, em boa parte, conclusos. Após, depois de uma longa e frustrante série de recusas e de atrasos, as autoridades turcas, finalmente, deram a permissão para a construção de outros edifícios sobre o lugar de modo a assegurar um alojamento estável para Andreas (que, com a sua família, continuaria a viver ali para ocupar-se do seu trabalho e fazer a guarda) e para notáveis religiosos e peregrinos em visita. Rapidamente, um lado da montanha encheu-se de atividades, com os homens que conduziam burros de Éfeso, carregados de tijolos e, de outro ponto da montanha, transportando pequenos blocos de calcário para os fornos; enquanto os pedreiros e os operários trabalhavam duramente para erguer as novas casas,  outros se esforçavam a completar a estrada e a colocar as pedras de pavimentação para o terraço. E tudo sob os olhos vigilantes de Constantin Grollot que patrulhava o lugar com um picão na mão e um fuzil na outra. Na metade de setembro o trabalho estava terminado.

Como resultado deste febril trabalho, os homens de Grollot não apenas deram um aspecto completamente novo ao lugar, como no curso da obra descobriram, também, algumas perspectivas fascinantes do aspecto que possuía séculos antes. Um momento de grande agitação se teve quando as picaretas dos operários, que estavam nivelando uma parte do terreno mais distante sobre a colina, golpearam, repentinamente, uma pedra de grandes dimensões, um pouco sob a superfície. Disseram a Grollot que pensavam ter encontrado uma tumba. Grollot, imediatamente, convocou padre Jung que examinou a pedra e afirmou que, muito provavelmente, fora colocada in loco a mão. Ele pediu aos operários que escavassem um pouco mais em outra parte e, então, com a ajuda de Grollot, delicadamente, moveu a pedra. Abaixo havia a parte superior de um muro subterrâneo. Os operários foram chamados e orientados a retomarem a escavação com atenção ao longo do contorno do muro. Eles se depararam sobre outros dois muros, de ângulo reto e no meio uma grande jarra de terracota que devia servir, em algum modo, como bacia. Qualquer coisa que tivesse sido descoberta, talvez um átrio, seguramente não se tratava de uma tumba.

[continua...]

Donald Carrol, A CASA DE MARIA. Uma história maravilhosa: Como foi descoberta em Éfeso a casa da Virgem Maria.

Tradução do italiano
Cláudia Rejane Turelli do Carmo

La Casa di Maria - Una storia meravigliosa: come fu scoperta a Efeso l'abitazione della Vergine Maria

Edição italiana
Edizioni San Paolo s.r.l, 2008
www.edizionisanpaolo.it 

Tradução do inglês
Paolo Pellizzari
ISBN 978-88-215-6227-3

Título original da obra:
MARY’S HOUSE. The straordinary story behind the Discovery of the house where the Virgen Mary lived and died.
Primeira publicação na Grã-Bretanha por Veritas Book, em 2000.



0 Comentários


Seu comentário

  • Oriundi

    Giornalismo fatto con passione