Facebook Curtir

2 de Junho de 1946, 71 anos atrás: A escolha dos italianos

Encerrada a Segunda Guerra Mundial (1939 - 1945), o conflito mais sangrento da história da humanidade, os italianos foram chamados a decidir, por meio de um referendo, se o regime político na Itália permaneceria sendo a monarquia ou se este seria substituído pela República. 

A data: 2 de junho de 1946. A República obteve 54% dos votos e o herdeiro do trono Umberto II, referenciado pela história como o “Rei de Maio”, seguiu para o exílio com a família, instalando-se em Cascais, Portugal, nunca lhe tendo sido concedida autorização para regressar à Itália.

No mesmo dia, o povo italiano foi chamado a eleger uma assembleia constituinte, cujos trabalhos tiverem início em 25 de junho de 1946. Em dezembro de 1947 terminou a redação da constituição italiana que entrou em vigor no dia 1 de janeiro de 1948. Esta constituição fazia da Itália uma república parlamentar. 

O chefe máximo do Estado, segundo esta constituição, é o presidente da República, eleito por via parlamentar para um mandato de sete anos. A ele foram confiados papéis principalmente representativos, como representante da unidade do território e chefe do exército. O poder legislativo foi confiado a um parlamento bicameral dividido em câmara dos deputados e senado da república, desempenhando seus papéis de modo paritário e separado. Tal parlamento tem uma duração de cinco anos.

A parada de 2 de junho

O 2 de junho é proclamado como Dia da República em 1948, enquanto o desfile militar na Via dei Fori Imperiali foi protocolado em 1950 e é realizado tradicionalmente a cada ano. A cerimônia prevê a colocação de uma coroa de flores sobre o Túmulo do Soldado Desconhecido no Vittoriano, antes do presidente da Itália conferir as formações da parada. 

A cerimônia continua durante a tarde com a abertura dos jardins do Palácio do Quirinal, sede da Presidência da República, e com performances musicais da banda conjunta do Exército Italiano, Marinha Italiana, Força Aérea Italiana, Arma dos Carabineiros, Polícia do Estado, Guarda de Finanças, Corpo da Polícia Penitenciária, Corpo de Bombeiros do Estado e do Corpo Florestal do Estado, juntos com a banda da cidade de Roma. 



0 Comentários


Seu comentário

  • Oriundi

    Giornalismo fatto con passione