Facebook

Padova tem baixa mortalidade de covid-19 graças ao uso de cloroquina

"A taxa de mortalidade entre nossos pacientes é baixa. Certamente é cedo para tirar conclusões, mas talvez o uso precoce de drogas possa ter tido algum papel". Isso foi dito hoje por Annamaria Cattelan, chefe do departamento de doenças infecciosas do hospital de Pádua, na Itália, durante uma live no Facebook sobre a emergência do Coronavírus.

"Desde o início - explicou Cattelan - usamos combinações farmacológicas que ainda não tiveram o apoio de estudos sólidos, medicamentos antivirais associados à cloroquina ou hidroxicloroquina, que agora foram registrados pela AIFA para pacientes afetados pela Covid, e medicamentos antivirais que ao seu tempo utilizamos contra o HIV, como o Lopinavir/Ritonavir e o Darunavir/Cobicistat. Quanto ao Rendesivir, estamos fazendo um protocolo aleatório com centros americanos e chineses; a partir dos primeiros dados da prática clínica, parece um medicamento capaz de reduzir a viremia por coronavírus em um tempo muito curto, portanto, negativizar o diagnóstico e obter a cura clínica".

Além de recordar a experimentação em andamento com o Tocilizumab, Cattelan anunciou que em breve o hospital terá outros medicamentos antivirais de ação direta, utilizados no passado, contra o vírus da influenza, e em experimentos com o ebola, que poderiam ser usados nos estágios iniciais da infecção e, portanto, ajudariam a reduzir as hospitalizações. (Redação www.oriundi.net com Il Mattino di Padova)