Facebook

Siracusa: 3.000 anos de História

Siracusa (em siciliano Saraùsa) está localizada na Costa Leste da Sicília. A quase totalidade do contorno do seu território é banhada pelo mar Jônico (Ionico), uma bacia do Mar Mediterrâneo. Ao chegar à Sicília, pelo porto de Messina, você deverá percorrer, de carro, cerca de 160 km, até chegar à cidade cujos primeiros registros históricos remontam o século VIII a.C.

Os resquícios deixados pela Cvilização Grega estão espalhados em diversos pontos de Siracusa, que foi a capital da Magna Grécia. 

A visita a Siracusa comporta ao menos uma semana. As opções culturais são várias e de elevado nível. Sem falar que se trata de uma cidade média (122.000 habitantes), tranquila, muito agradável de estar, em vista do número relativamente pequeno de turistas. 

História de Siracusa: Origens

Siracusa (chamada pelos gregos de Syrákousai) foi fundada por um grupo de colonos de Corinto, entre os anos de 734-733 a.C. Uma das metrópoles mais importantes do mundo antigo, foi onde nasceu e viveu Arquimedes (287 a.C. – 212 a.C.), matemático, físico, engenheiro, inventor e astrônomo imortalizado pela sua genialidade. 

Outra personagem ilustre nascida em Siracusa é Santa Lucia (± 283 - 304), mais conhecida como Santa Luzia, venerada pelos católicos como virgem e mártir cristã. Segundo consta, por negar-se a adorar os deuses romanos, ela foi decapitada por ordem do imperador Diocleciano. Santa Lucia é a padroeira da cidade.

Além disso, nessas terras transitou Platão que a visitou por três vezes, determinado a estabelecer ali o seu estado ideal da República. 

Listada entre as maiores metrópoles da era clássica, Siracusa rivalizou em poder e riqueza com Atenas. Cícero (106 - 43 a.C), considerado um dos maiores filósofos da Roma Antiga, descreveu-a como "a maior cidade grega e a mais linda de todas". 

Na passagem dos séculos, foi conquistada pelos romanos em 212 a.C, tornando-se capital da Sicília romana. Posteriormente, viveu sob o domínio bizantino. E foi a partir da chegada dos árabes, em 878, que se deu início ao enfraquecimento da sua primazia no contexto siciliano.

Ortigia, o centro histórico de Siracusa

Ortigia é uma pequena ilha, ligada ao continente pela ponte Umbertina, onde fica o centro histórico de Siracusa. Seu nome deriva da antiga ortega grega (ὄρτυξ) que significa "codorna". Sua extensão não excede 1 km² e sua população é de aproximadamente 4.500 habitantes.

Segundo a lenda, a ilha foi batizada com este nome quando os deuses a deram a Ártemis; as ninfas da ilha fizeram brotar a fonte de Aretusa para agradar Ártemis. Em outra versão, a ninfa Aretusa, fugindo de Alfeu, foi parar nesta ilha, onde se transformou em uma fonte.

Ortigia, como poucos outros centros históricos no mundo, mostra, sem interrupções, todas as épocas pelas quais passou, desde a sua fundação até os dias atuais, passando por gregos, romanos, bizantinos, árabes, normandos, suábios, aragoneses e catalães. 

Entre as principais atrações estão as ruínas do Templo de Apolo, a arquitetura barroca da Piazza Duomo, a Catedral dedicada a Santa Luzia, a Fonte Aretusa e o Porto de Ortigia – além de palácios, conventos, igrejas, confeitarias, cafés e restaurantes.

Siracusa Patrimônio Mundial da UNESCO

Em Durban (África do Sul), de 10 a 17 de julho de 2005, Siracusa e a necrópole rochosa de Pantalica foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO.

Diz o texto: “A área é um testemunho excepcional para o desenvolvimento da civilização de mais de 3 milênios, sem interrupção, dando testemunho de um nível cultural extraordinário. A área urbana da antiga Siracusa, com seus aspectos romano, grego e barroco, reúne o maior exemplo de criações arquitetônicas de importância universal”.

Entre os critérios de registro, constam que “os sítios e monumentos de Siracusa-Pantalica formam um ‘todo’ que constitui uma coleção única como testemunho extraordinário das culturas mediterrâneas através dos séculos e no mesmo espaço, e que o conjunto Siracusa-Pantalica oferece, através de sua extraordinária diversidade cultural, um testemunho excepcional para o desenvolvimento da civilização ao longo de 3 milênios. 

Como se locomover em Siracusa

O aeroporto mais próximo de Siracusa é o de Catania, que oferece serviço de ônibus direto. Os serviços de ônibus do aeroporto são geralmente cronometrados para coincidir com os vôos de chegada.O tempo de viagem é um pouco mais de uma hora. Alternativamente, tarde da noite ou em feriados, pode ser mais fácil tomar um ônibus ou táxi do aeroporto para a estação ferroviária de Catania e, em seguida, viajar de trem para Siracusa.

A estação ferroviária fica a 20 minutos a pé do centro da cidade antiga. Stazione Centrale FS di Siracusa (www.trenitalia.com/) Piazzale della Stazione Centrale 21, 96100 – Siracusa. Tel: 0931.69650.

Veja aqui o mapa da cidade

A melhor opção para mover-se dentro da cidade é chamar um táxi pelo celular. Existe um aplicativo, disponível neste link aqui

Uma ótima alternativa para visitar os principais pontos turísticos e ter uma visão geral da cidade é o Siracusa Open Tour . A 5 euros, um ticket  é válido por 24h e permite o usuário descer em subir, numa das 16 diferentes paradas. Incluso audio guida e wi-fi a bordo. O único problema é que, em alguns locais de menor procura, ele poderá passar constantemente lotado e você não conseguirá embarcar. A média é de um ônibus a cada 20 minutos.  

Acesse aqui todas as opções de transportes para Siracusa



1 Comentários


  1. Fausto Barchiesi
    30 Jan 2019
    Parabéns pela forma clara e sucinta das informações. Muito interessante. Siracusa merece uma visita

Seu comentário