Facebook

Língua Italiana: mais de 3 mil palavras em risco de desaparecer

Na longa lista de palavras publicadas pela editora Zanichelli, constam adjetivos como villoso, titanico, verbos como affiatare e stridere, e substantivos como utopia. Segundo a casa editrice, os italianos não usam mais essas palavras, que entraram em risco de extinção. Com o objetivo de salvá-las do desaparecimento, a editora com sede em Bologna lançou a campanha #paroledasalvare e, até novembro, divulgará esses termos nas redes sociais e em praças italianas.

Porém como uma palavra é extinta? Muitas delas deixam de ser usadas porque são expressões que se referem a usos, costumes e modos de pensar que há muito tempo não se encontram mais. Outras, explicam os estudiosos da linguagem, tendem a desaparecer devido à excessiva simplificação da linguagem, que encontra sinônimos mais genéricos de acordo com novas e diferentes maneiras de se expressar.

O uso de sinônimos, entretanto, não levaria em conta que mesmo palavras com igual significado têm diferenças singelas e até estratificações culturais diversas dos termos que pretendem substituir. Dessa forma, além da palavra real, o conhecimento e a cultura subjacente a determinados termos também tendem a desaparecer.

“O empobrecimento do vocabulário muitas vezes envolve um empobrecimento do pensamento, do raciocínio e da capacidade de se comunicar e, portanto da relação com o outro. Ampliar o próprio vocabulário não significa aprender ou, pior, assumir tons esnobes, mas significa enriquecer as ferramentas disponíveis para desenvolver a personalidade e melhorar a compreensão”, informa o site da editora.

Objetivamente, como fazer para salvar essas palavras? A editora Zanichelli parece ter encontrado a resposta, lançando uma campanha que utiliza as redes sociais e promove uma série de encontros em praças italianas para informar as pessoas sobre o uso dessas palavras.

O perfil da Zanichelli no Instagram tem publicado, diariamente, uma a uma das palavras da longa lista das candidatas a possível extinção, explicando seu significado por meio de belas ilustrações. Entre elas, estão: Bizzarro, crapula, alchimia, filibustiere, intrepido, marachella, nababbo, onirico, quatto, procrastinare, ruspante, zizzania, sudeto, lindo, astrale, ovazione, acerrimo, mala gestione, calamità, ottuso, pragmatico, spinario, turchese, libridine, campestre, oracolo, fosco, tigrino, monolítico, mimético, saturnino, disposofobia.

Além disso, até novembro, a editora estará envolvida em uma turnê, nas principais cidades da Itália. Milão, Turim, Florença, Bolonha, Bari e Palermo, em diferentes períodos, sediarão o #AreaZ: uma área criada especificamente para envolver os transeuntes na proteção de palavras em risco de extinção. As pessoas são convidadas a escolher um termo para adoção: por meio de telas sensíveis ao toque, os usuários podem publicar em seus próprios perfis o termo que escolheram com seu significado.

A turnê teve início no sábado, 21 de setembro em Milão, e continuará, de 29 de setembro a 5 de outubro em Turim, de 6 a 11 em Bolonha, de 12 a 19 em Florença, de 20 a 26 de outubro em Bari e até 2 de novembro em Palermo.

Ainda, no próximo vocabulário Zanichelli 2020, todas as 3.126 palavras indicadas pela campanha serão acompanhadas por um pequeno símbolo que indica a condição de "espécies ameaçadas de extinção". O símbolo escolhido é um trevo que, assim como a língua, é frágil e constantemente sujeito ao perigo de ser destruído se não forem prestados cuidados e atenção suficientes. (Com informações de Fanpage.it )