FABIO PORTA CANDIDATO PD

Fabio Porta é candidato a Deputado nas eleições da Itália 2022

Cidadãos italianos no Brasil e na América do Sul votam em seus representantes ao Parlamento italiano, em setembro de 2022.

Fabio Porta é candidato pelo Partito Democratico (PD) à Câmara dos Deputados da Itália. As próximas eleições italianas irão ocorrer em 25 de setembro de 2022. Os cidadãos italianos no exterior, aptos a participar do pleito, manifestam a escolha de seus candidatos pelo voto por correspondência.  

Fabio Porta é Senador da República da Itália, eleito pela América do Sul, tendo assumido a sua cadeira no Parlamento, em 12 de janeiro de 2022 – após ser comprovada pela Justiça italiana, a fraude nas eleições de março de 2018, quando a sua vaga foi ocupada pelo então candidato Adriano Cario (USEI/Argentina). 

Fabio Porta, natural de Caltagirone, na Sicília, reside na cidade de São Paulo, no Brasil, desde 1998, onde preside o Patronato ITAL-UIL Brasil. Sociólogo de formação, ele foi eleito Deputado no Parlamento italiano, em duas legislaturas – 2008 e 2013 -, sempre pelo Partito Democratico (PD), representando os cidadãos italianos residentes na América do Sul.

Em 2018, Fabio Porta candidatou-se ao Senado da Itália, pelo PD, obtendo 21 mil votos, sem, no entanto, poder assumir devido a fraudes ocorridas na Argentina. Após um longo processo, o Senado italiano retirou Adriano Cario (USEI) e, em 12 de janeiro de 2022, proclamou Fabio Porta como legítimo Senador eleito pela Repartição América do Sul da Circunscrição do Exterior.

Acompanhe, a seguir, a entrevista de Fabio Porta, concedida à revista digital Oriundi.

Fabio Porta, por que você é candidato nas próximas eleições parlamentares da Itália e a qual cargo está a disputar?

Serei candidato à Câmara dos Deputados porque, após a redução do número de parlamentares, na Itália e no exterior, esta será a Câmara "política" onde irão ocorrer as articulações e serão tomadas as principais decisões relativas ao governo e aos italianos no mundo. 

O Partito Democratico (PD), principal força política italiana, garantirá à grande comunidade italiana do Brasil e da América do Sul, a continuidade de sua representação no Parlamento. 

VEJA AQUI: Como funciona o sistema político e eleitoral na Itália

A nossa longa, difícil e vitoriosa batalha contra a fraude eleitoral oferece-me a oportunidade de levar, nestas eleições, a bandeira da legalidade e dignidade do voto dos nossos compatriotas no exterior.  

Colocamos essa bagagem de experiências e competências adquiridas ao longo dos anos de meu mandato, juntamente com a força de minha liderança dentro da comunidade, para fazer vencer a única lista capaz de ser bem-sucedida e, acima de tudo, de dar respostas concretas e sérias às expectativas dos italianos que vivem fora da Itália. 

Quais as suas propostas para um novo mandato no Parlamento da Itália, representando os italianos residentes na América do Sul?

Queremos continuar a lutar pela melhoria dos serviços consulares e a redução das longas filas de espera. Neste sentido, fui o único parlamentar na história a aprovar uma lei que transfere um terço do que é arrecadado, com os pedidos de cidadania, aos Consulados da Itália. Estamos comprometidos em trabalhar para que este percentual seja aumentado e usado com mais eficiência e transparência, em benefício dos cidadãos italianos no Brasil e na América do Sul. 

Iremos trabalhar, ainda, de forma vigilante para que o reconhecimento da cidadania italiana pelo direito de sangue - ius sanguinis- seja mantido sem limite de gerações e passe a ser acompanhado de políticas e projetos de apoio, ao ensino e à promoção da língua italiana no mundo, a fim de que se obtenham cidadãos de pleno direito, protagonistas conscientes e participantes do futuro da Itália.

Também neste sentido, a nossa outra batalha parlamentar será pela aprovação definitiva da lei que prevê, nas escolas italianas, o ensino multidisciplinar e obrigatório da história da presença italiana no mundo, em todos os seus aspectos: econômicos, culturais e sociais. Será esta a forma com a qual iremos suprimir, nas instituições, qualquer tipo de preconceito ou ignorância que, em tantas ocasiões, tem impedido a real valorização de nossas reivindicações. 

Finalmente, queremos trabalhar em favor dos jovens ítalo-descendentes, aos quais devemos oferecer um amplo programa de bolsas de estudos universitárias e estágios junto a empresas italianas, assim como a possibilidade de participar ativamente em projetos no campo do "turismo das raízes", também com a criação de startups empresariais inovadoras ítalo-brasileiras. 

Por que Fabio Porta é o melhor candidato aos ítalo-brasileiros para ocupar uma cadeira no Parlamento italiano?

Porque, nos anos em que eu estive no Parlamento, seja como Deputado ou Senador, fui o mais presente e atuante de todos os parlamentares eleitos no exterior, uma atuação certificada por órgãos independentes e reconhecidos.

Além disso, sobretudo, porque serei o único candidato da comunidade italiana no Brasil - junto ao nosso candidato ao Senado - a ter possibilidade concreta de eleição, após a redução pela metade do número de parlamentares que serão eleitos na Repartição América do Sul.

Outra razão importante é o fato de eu pertencer a um grande partido político, como o Partito Democratico (PD), que tenho a certeza se estabelecerá como o primeiro em toda a Itália. Isso será decisivo para a aprovação - como já aconteceu no passado – de leis e propostas que os pequenos grupos e movimentos jamais conseguiriam fazer avançar. 

Por fim, é também um voto para a Itália: porque confirma a sua vocação democrática e europeia.