Facebook

Dinheiro enviado por migrantes poderia impulsionar economias rurais

O dinheiro enviado por migrantes para sua terra natal poderia gerar US$ 30 bilhões por ano, ou R$ 67 bilhões, para investimentos em áreas rurais, caso iniciativas no setor fossem ampliadas.

Os números são do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Ifad. Segundo a agência da ONU, as remessas "podem ajudar os trabalhadores rurais a sair da pobreza e da exclusão".

Alto Custo

O Ifad defende mais estratégias para investir os US$ 200 bilhões enviados pelos migrantes todos os anos a áreas ruais. Mais de 215 milhões de pessoas no mundo vivem fora de seu país de origem.

A maior parte das famílias que recebe o dinheiro depende de serviços de transferência monetária que são caros, destaca a agência.

Desenvolvimento

Apesar da prevalência global de transferências eletrônicas de dinheiro, a maioria dos migrantes está excluída de sistemas financeiros modernos e são forçadas a realizar mais de 1 bilhão de remessas separadas todos os anos.

Segundo o Ifad, reduzir o custo dessas transações deve ser uma prioridade, que afirmaria o papel importante das diásporas para o desenvolvimento rural e agrícola.

O alerta da agência foi feito durante uma reunião conjunta com o Banco Mundial em Roma, com a participação de representantes dos países do G-8, o grupo das maiores economias do mundo. (Rádio ONU)