Facebook

Poeta italiano Enrico Testa em Santa Catarina

(...)Admitir o fato de que a poesia, no fundo, partilha da fragilidade da nossa existência, e com ela, dos sentimentos que nos agitam e do nosso destino comum (...) - Enrico Testa

Enrico Testa, um dos principais nomes da poesia italiana contemporânea, poeta e professor está em Florianópolis para o lançamento de seus livros e para participar do Seminário Resíduos do Humano, experiência e linguagem na literatura italiana das últimas décadas, que ocorre na Universidade Federal de Santa Catarina. Nesta quinta-feira (23),  terá um  um bate-papo com o público, às 18h

O genovês Enrico Testa volta ao Brasil, dois anos após o lançamento da tradução de Ablativo (Rafael Copetti Editor, 2014), para participar do Seminário Internacional “Resíduos do humano: experiência e linguagem na literatura italiana das últimas décadas”, de 20 a 24 de junho, na Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Antes, no dia 18, na Casa das Rosas, em São Paulo, marcou presença no lançamento da tradução de seu livro de poemas de 2005, Páscoa de Neve (Rafael Copetti Editor, 2016), e  do volume Cinzas do século XX (7Letras, 2016), compilação das três aulas que proferiu em 2014, em Florianópolis.

Professor titular de Historia da Língua italiana na Universidade de Gênova, cidade em que nasceu, em 1956, o crítico literário Enrico Testa povoa os seus poemas com lembranças, lugares, pessoas que deixaram marcas por momentos cotidianos, mas também especiais, uma relação com o passado, com aquilo que não existe mais, mas que de algum modo ainda resta. Testa também é o poeta da incompletude, cuja aceitação,acredita, seja um passo fundamental do nosso estar no mundo, cometendo um número limitado de danos: “Tal princípio também pode ser válido na escritura: nem estátua nem monumentos (antigas figuras da obra literária que ciclicamente retornam em certas tendências sacrais ou ‘absolutas’), mas admitir o fato de que a poesia, no fundo, partilha da fragilidade da nossa existência, e com ela, dos sentimentos que nos agitam e do nosso destino comum. Gosto de pensar nos meus versos como uma escritura sútil, de letras pequenas, quase um hieróglifo, glosa ou nota, à margem de um texto, a vida, que nos fascina e nos destrói”, diz Testa. (por Dorva Rezende/ Resíduos do Humano)

O Seminário Internacional “Resíduos do humano: experiência e linguagem na literatura italiana das últimas décadas” traz para o foco da discussão uma reflexão sobre a produção poética e narrativa italiana, da segunda metade do século XX até a contemporaneidade, a partir da dilaceração que envolve tanto o uso do meio expressivo como o sujeito/objeto da enunciação/representação. Em outros termos, busca-se refletir sobre uma literatura que, se de um lado pode apresentar fortes raízes realistas, de outro, é permeada de fraturas, digressões e matizes que colocam em discussão o estatuto da palavra e o estatuto do humanismo. O espaço de diálogo e debate entre os conferencistas será considerado aqui um modo de operar em conjunto, problematizando todas as instâncias envolvidas, nos diferentes campos de conhecimento/atuação. O formato de seminário escolhido para o desenvolvimento dos trabalhos visa promover uma maior interação dos professores convidados com a comunidade acadêmica.

Texto da Foto: Ablativo - Einaudi 2013



0 Comentários


Seu comentário